Oradores

Sessão de Abertura

fotografia.pngJorge Cruz nascido em Lisboa em 1964,  tem um mestrado em Psicologia, tópico sobre o qual lecionou no ensino superior em Portugal no início da sua carreira. Em 1999, ingressou no serviço diplomático e, pouco depois, serviu na Embaixada de Portugal em Sófia e Roma (2003). Após um breve período como assessor diplomático no Gabinete do Ministro de Assuntos Internos, serviu na Embaixada em Montevidéu (2005-9) e depois na Embaixada em Viena, bem como na Missão Permanente junto das Nações Unidas e Organizações Internacionais (2009- 14). Em 2014, foi nomeado Chefe de Divisão para Assuntos das Nações Unidas na Direcção dos Serviços da Organização Política Internacional da Direção-Geral da Política Externa e, em 2015, foi nomeado Chefe de Divisão dos Serviços Internos de Recursos Humanos no Departamento de Administração Geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros. A 5 de agosto de 2017, assumiu o cargo de Cônsul Geral de Portugal em Manchester.

Sessão 1 – Políticas públicas

i029349Tiago Brandão Rodrigues nasceu em Braga, em 1977. É Ministro da Educação, Desporto e Juventude do XXI Governo Constitucional. Foi eleito deputado à Assembleia da República na XIII Legislatura pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo. Em 2000, concluiu a licenciatura em Bioquímica pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Nos anos seguintes, realizou investigação científica em Dallas, Madrid e Coimbra, trabalho que conduziu ao seu Doutoramento em Bioquímica, especialidade de Biofísica Molecular, pela Universidade de Coimbra. Durante este período, dedicou-se ao estudo do metabolismo cerebral em doenças neurodegenerativas, tendo a sua tese sido galardoada com o Prémio António Xavier, em 2008. A partir de 2010, foi investigador na área da oncologia no Cancer Research UK da Universidade de Cambridge, estando igualmente associado ao Corpus Christi College. Foi financiado pela Comissão Europeia, através do Programa Marie Curie, e pela Organização Europeia de Biologia Molecular (EMBO). É membro de várias sociedades científicas internacionais e é autor de dezenas de artigos publicados em livros da especialidade e em importantes revistas científicas internacionais. Um artigo seu na revista Nature Medicine, valeu-lhe o British Prize da Sociedade Internacional de Ressonância Magnética em Medicina (2013). Foi orador convidado em diversos eventos científicos internacionais, tendo lecionado em diferentes cursos de formação pré e pós-graduada. Foi membro do corpo editorial de revistas científicas e revisor de artigos, assim como avaliador de importantes agências científicas internacionais de financiamento. Integrou a direção da PARSUK (Associação dos Investigadores e Estudantes Portugueses no Reino Unido), onde desenvolveu trabalho na área da comunicação em ciência. Fez parte da Chefia de Missão da comitiva portuguesa aos Jogos Olímpicos de Londres de 2012, enquanto Adido Olímpico.

 

dr-mike-galsworthy-220Mike Galsworthy é co-fundador dos “Cientistas para a UE”. Previamente, Mike era um consultor independente em política de investigação e inovação assim como Investigador convidado na London School of Hygiene & Tropical Medicine (LSHTM). Mike obteve um mestrado em Ciências Naturais pela Universidade de Cambridge e realizou o seu doutoramento em genética comportamental no King’s College London. O seu trabalho mais recente inclui uma série de casos de estudo sobre inovação internacional dentro das universidades britânicas e uma análise de eficácia do programa de investigação em saúde da UE no âmbito do FP7 (programa de ciência para os anos de 2007 a 2013). O seu parecer sobre as relações de investigação entre o Reino Unido e a UE foi citado em documentos do Governo e da House of Lords. Mike tem vindo a analisar e escrever pareceres (de teor académico, bem como direcionados para o público em geral) sobre os programas de investigação da UE desde 2009, deu palestras sobre políticas científicas e tem advocado o motivo pelo qual o Reino Unido deve permanecer na UE para a ciência desde 2013.

 

robert_geyerRobert Geyer é Professor de Política e Complexidade, e Director Académico da Universidade de Lancaster (Internacional). Os seus interesses de investigação evoluíram em várias direções, focando-se principalmente na teoria da complexidade e na política pública. Na lista das suas publicações mais recentes encontram-se livros co-escritos e co-editados entre eles: Handbook on Complexity and Public Policy, 2014; Complexity and Public Policy, 2010; Complexity, Science and Society, 2007 e Riding the Diabetes Rollercoaster, 2007. Escreveu também vários artigos nesta área e figurou em seis curtas-metragens. Outra das suas áreas de interesse é a investigação em política social e de saúde da UE, com especial ênfase nas políticas relacionadas com a publicidade de medicamentos.

 

Sessão 2 – Desafios no Ensino Superior

FranciscoVeloso_sinppetFrancisco Veloso é o Reitor da Imperial College Business School. Anteriormente, foi o Reitor da Escola de Negócios e Economia da Universidade Católica de Lisboa, onde ocupou a Presidência da NOS em Inovação e Empreendedorismo. Francisco mantém também uma posição adjunta na Universidade Carnegie Mellon, onde foi professor titular. Francisco tem um doutoramento em Tecnologia, Gestão e Política do MIT – Instituto de Tecnologia de Massachusetts, bem como um Mestrado em Gestão de Tecnologia e um Bacharelato em Engenharia de Física, ambos pela Universidade de Lisboa. A investigação de Francisco centra-se na inovação e empreendedorismo de alta tecnologia. Tem várias publicações em importantes revistas académicas e ganhou vários prémios pelas suas contribuições. Regularmente contribui como consultor e assessor para uma variedade de empresas em fase de arranque, empresas estabelecidas, universidades e governos em todo o mundo. Também foi membro do órgão consultivo de alto nível de RISE – Research, Innovation and Science Experts para o comissário europeu Carlos Moedas.

 

LuisOliveiraSilva 00.57.13Luís Oliveira e Silva é Professor de Física no Instituto Superior Técnico de Lisboa (IST), onde lidera o Grupo de Lasers e Plasmas. Ele obteve os seus diplomas (Lic. 1992, PhD 1997 e Agregação 2005) no IST. Foi investigador pós-doutorado na Universidade da Califórnia entre 1997 e 2001. As suas contribuições científicas estão focadas na interação de intensos feixes de partículas e lasers com plasmas, desde um ponto de vista fundamental às suas aplicações para fontes secundárias para biologia e medicina. Luís é autor de mais de 200 trabalhos em revistas de referência e três patentes, fazendo parte do conselho editorial do Journal of Plasma Physics (Cambridge University Press). Já participou em conferências e palestras em todas as grandes conferências de física de plasma e participa no programa e nos comités de seleção de conferências, prémios e cargos de professores na Europa, EUA e Japão. Ele é membro do Conselho Consultivo Científico Internacional da ELI – Beamlines, serviu no Comitê Diretivo Científico do PRACE e foi membro do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (reportando ao Primeiro Ministro de Portugal). É, actualmente, o presidente do Conselho Científico do IST desde 2013. Já supervisionou 11 teses de doutoramento e 7 pós-doutoramentos, cujo trabalho levou a vários prémios nacionais e internacionais. Foi Investigador Principal em mais de 20 projetos financiados pela Fundação de Ciência Portuguesa, ESA e UE, em projetos de supercomputação da UE, pela NVIDIA e pelo Laboratório Rutherford Appleton. Luís recebeu duas Bolsas Avançadas pelo Conselho Europeu de Pesquisa em 2010 e em 2015, sendo um dos cientistas mais jovens a receber duas Bolsas Avançadas. Foi premiado com o Prémio Científico da Universidade Técnica de Lisboa de 2011, o Prémio Científico IBM 2003, a Medalha ICTP Abdus Salam 2001 para Excelência em Física de Plasma Não-Linear por um Pesquisador Jovem e o Prémio Gulbenkian para Jovens Pesquisadores em 1994, entre outros. Foi eleito membro da American Physical Society e da Global Young Academy em 2009 e em 2017, foi eleito membro da European Physical Society. Em 2016, Luis O. Silva recebeu o título de Grande Oficial da Ordem da Instrução Pública pela Presidente da República Portuguesa.

 

Screen Shot 2018-04-10 at 23.47.58

Sharon Huttly é a Vice-reitora para a Educação profissional e lidera o desenvolvimento e implementação da estratégia educacional da universidade de Lancaster. Sharon é também professora no Departamento de Investigação Educacional. Sharon ingressou na Universidade de Lancaster em agosto de 2014, oriunda da London School of Higiene & Tropical Medicine, da Universidade de Londres, onde foi a reitora de estudos responsável pelo ensino e aprendizagem. A sua investigação cingiu-se principalmente na saúde e nutrição infantil em países de estatuto socioeconómico baixo/médio, com foco no ensino de pós-graduação. Ela trabalhou extensivamente na América do Sul, África Ocidental e Ásia, obtendo financiamento para investigação e realizando consultorias para várias organizações internacionais. A sua experiência de ensino é principalmente a nível de pós-graduação nas áreas de epidemiologia e saúde infantil, envolvendo uma variedade de cursos ministrados (localmente e à distância) e supervisão de estudantes de doutoramento. Sharon pertence à Academia de Ensino Superior (Higher Education Academy em inglês), é examinadora do Programa de Excelência em Ensino (Teaching Excellence Framework em inglês) e participou em grupos de trabalho nacionais (HEFCE On-Line Learning Task Force, HEA Grade Point Average Advisory Group e QAA Postgraduate Advisory Board).

Sessão 3 – Percursos Não Lineares

MiguelClaraVasconcelosMiguel Clara Vasconcelos (1971, Portugal) foi educado em Literaturas Clássicas e Literatura na Universidade de Lisboa e na Universidade de Coimbra e possui mestrado em Estudos Cinematográficos que obteve na Sorbonne em Paris. Seu corpo de trabalho varia de literatura para teatro, dança, videoarte e cinema. O Triângulo Dourado ganhou o prémio de Melhor Filme Português no Festival Internacional de Cinema Curtas Vila do Conde em 2014. Silent Meeting ganhou o prémio de Melhor longa-metragem portuguesa no Festival Internacional de Cinema IndieLisboa em 2017.

 

Joana_Lobo_AntunesJoana Lobo Antunes é Diretora de Comunicação Ciência da ITQB Nova University of Lisbon. Formada em Ciências Farmacêuticas (Universidade de Lisboa) e doutora em Química Orgânica (Universidade de Santiago de Compostela) e professora de Biologia Celular na Universidade Lusófona. O seu interesse pelo teatro levou-a a estudar o Fórum Teatro com Augusto Boal, Julián Boal, Armindo Pinto e Gisella Mendoza, e a actuar com o Grupo de Teatro do Oprimido de Lisboa (2006-2008). Ela também co-dirigiu cientistas numa peça teatral sobre suas vidas e conflitos (encenado em Gulbenkian, Teatro Municipal de Bragança, Teatro Nacional D. Maria II, entre outros). Combinando suas paixões pela ciência e pelo teatro, Joana aplicou técnicas de improvisação teatral para desenvolver oficinas de comunicação oral e postura para cientistas, que atualmente ensina nos cursos de Mestrado e Doutorado. Após uma pós-doutoramento em Comunicação Ciência na ITQB, ela foi directora do Sintra Science Center e agora está de volta ao meio académico, coordenando uma equipa de 5 em projetos de comunicação em Ciência.

 

Patricia_portelaPatrícia Portela é escritora e criadora de performance nascida em 1974, vivendo entre a Bélgica e Portugal. Ela estudou design de vestuário e figurino em Lisboa e em Utrecht, filme em Ebeltoft, Dinamarca e Filosofia em Leuven, na Bélgica. Desde 2003 trabalhou em seus próprios desempenhos e instalações em colaboração com artistas internacionais. Ela alcançou reconhecimento nacional e internacional por seu trabalho incomum e é considerada uma dos artistas mais ousadas ​​e escritoras inovadoras de sua geração. Ela ganhou o Prémio de Revelação em 1994 pelo seu trabalho criativo em performance e cinema, o Prêmio Teatro na Década para T5 em 1999, o Prêmio da Fundação Gulbenkian Madalena de Azeredo Perdigão para o desempenho Flatland I em 2004 e uma menção especial para Wasteband em 2003, e foi uma das 5 finalistas do Sonae Media Art Prize 2015 com a sua instalação Parasomnia, entre outros prêmios. Ela foi convidada para participar do prestigiado Programa de Redação Internacional (IWP) da Universidade de Iowa em 2013 e foi o primeiro residente literário em Berlim em 2016. Ela é autora de várias novelas (o Banquet foi um finalista do romance e Novela Big APE Prize 2012) e histórias curtas. Ela é fundadora da associação cultural do Prado desde 2003 e editora das edições coletivas Prado desde 2008. Patrícia Portela escreve crónicas para o Jornal de Letras e Coffeepaste.com.

 

Sessão 4 – Cidadania e Sociedade

Helena_Carreiras

Helena Carreiras é professora associada de Sociologia, Política Pública e Metodologia de Pesquisa no ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) e investigadora sénior do Centro de Pesquisas e Estudos em Sociologia (CIES-IUL). Atualmente é decana da Escola de Sociologia e Política Pública do ISCTE-IUL e presidente da Associação Europeia ERGOMAS (Grupo Europeu de Pesquisa sobre Forças Armadas e Sociedade). Possui doutorado em Ciências Sociais e Políticas pelo Instituto Universitário Europeu (Florença). Entre 2010 e 2012 foi vice-diretora do Instituto de Defesa Nacional de Portugal e em 2014 foi Professor Visitante da Universidade de Georgetown (Departamento de Governo). Os seus interesses de pesquisa são em gênero e sociedade, forças armadas, relações civis-militares, políticas públicas de segurança e defesa e metodologia de pesquisa qualitativa. Seu trabalho centrou-se na integração de género em instituições militares e aspectos de género na segurança internacional. Ela é co-editora de Research the Military (Routledge, 2016, com Celso Castro e Sabina Frederic), Métodos qualitativos em estudos militares (Routledge, 2013, com Celso Castro) e Mulheres no conflito armado e em conflito armado (Vs Verlag , 2008, com Gerhard Kuemmel), e o autor de Gender and the Military. Mulheres nas Forças Armadas das Democracias Ocidentais (London, Routledge, 2006).

 

helena-machadoHelena Machado é professora titular da Universidade do Minho. Os seus interesses de investigação centram-se na sociologia do crime e nos estudos sociais da genética forense, com especial incidência nas questões societárias, regulamentares e éticas associadas aos usos da genética molecular nos modos contemporâneos de governança nos campos forense e médico. Em 2015, Helena Machado foi premiada com um Subsídio Consolidador do Conselho Europeu de Pesquisa (ERC), um dos esquemas de financiamento mais competitivos e prestigiosos para a pesquisa científica de excelência no contexto europeu.

 

MariaJoaoValente

Maria João Valente Rosa é professora universitária, doutorada em Sociologia (especialidade Demografia), pela FCSH / UNL. Está, desde 2009, a dirigir a Pordata, projecto da Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS). Autora de inúmeros estudos sobre a sociedade portuguesa. Integração do Conselho Consultivo Europeu da Estatística (ESAC), pertencente ao quadro executivo deste Comité. Conselho Superior de Estatística, na qualidade de membro reconhecido.

 

me110917

Sandra Maximiano é actualmente Professora Associada no Instituto Superior de Engenharia e Gestão. Doutorou-se em Economia pela Universidade de Amesterdão e chegou em 2007 à Universidade de Chicago para um pós-doutoramento. Desde então que mantem colaboração científica com o grupo de Economia Experimental da Universidade de Chicago. Em 2009, tornou-se professora Assistente na Universidade de Purdue. Em Portugal, para além do ISEG, já lecionou na Universidade Católica de Lisboa e na Universidade Nova. Escreveu para o Diário de Notícias entre 2006-2007, saltando depois para a opinião do Negócios e desde 2015 que assina &conomia à Sexta, no Expresso. Economista que raramente escreve sobre a dívida e o défice, conduz antes experiências para analisar o comportamento dos agentes económicos.

 

 

Sessão de Encerramento

fullsizerender-e1522197477971

Embaixador de Portugal no Reino Unido S. Ex.ª Manuel Lobo Antunes.
Nascido a 27 de junho de 1958 em Lisboa, é Licenciado em Direito pela Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa. Ingressou na carreira diplomática a 18 de março de 1983.
Resumo de postos: 1984 Consultor da Casa Civil do Presidente da República; 1988 na Embaixada na Haia; 1994 na Embaixada em Harare; 1996 Diretor dos Serviços da África Subsariana; 2001 Assessor diplomático do Primeiro-ministro; 2002 Subdiretor-Geral dos Assuntos Comunitários; 2002 Membro da “Convenção sobre o Futuro da Europa”; 2004 Diretor-Geral dos Assuntos Comunitários; 2005 Secretário de Estado da Defesa Nacional e dos Assuntos do Mar; 2006 Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Europeus; 2008 Representante Permanente de Portugal junto da União Europeia; 2012 Embaixador em Roma; 2016 Embaixador em Londres.
Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique
Comendador da Ordem de Mérito
Línguas faladas: inglês, francês, italiano.

 

Moderadores

Screen Shot 2018-03-29 at 15.50.13

Ruth Alcock é directora de parcerias empresariais e de negócios na LEC, liderando uma equipa orientada para a criação de impacto em investigação em parceria com empresas e outros utilizadores de ciência e tecnologia. Ruth assumiu um papel de liderança na coordenação de atividades dentro e entre as comunidades científicas e de utilizadores finais, identificando novas oportunidades de investigação colaborativa e otimizando a aprendizagem e desenvolvimento profissional de uma série de importantes grupos científicos. Ruth trabalha como parte de uma equipa multidisciplinar mais ampla em Ciência e Tecnologia em Lancaster que une áreas do conhecimento da LEC com capacidade de investigação em Química, Engenharia, Física, Computação, Matemática, Estatística, Segurança e Saúde. Completou o seu doutoramento em química ambiental em 1994 em Lancaster e desde então desenvolveu um perfil internacional distinto de investigação direccionada para as implicações da exposição química na saúde humana.

leon_cruickshank_01Leon Cruickshank é Professor de ‘Design and Creative Exchange’ na Universidade de Lancaster. Os interesses principais do Leon centram-se em como a tecnologia pode permitir novas relações entre os seus utilizadores e designers, de maneira a que os utilizadores possam ser mais ativos a influenciar a sociedade, ambiente e os ‘media’. Isto requer que haja uma mudança radical na maneira como pensamos sobre ‘designers’ e ‘designing’. Isto levou à criação de uma nova área de investigação centrada em ‘designing knowledge exchange’. O Leon está atualmente envolvido em 6 projetos financiados nesta área de investigação. Ele é Investigador Principal no projecto AHRC ‘Leapfrog: transforming public sector engagement by design’ de 1.2 milhões £. O Leon é também ‘Director of Knowledge Exchange’ do AHRC ‘Creative Knowledge Exchange Hub’ de 4 milhões £ e o líder por parte do Reino Unido para o projeto PROUD focado em ‘knowledge exchange through co-design’ de 4 milhões £.

FredericoDuarte

Frederico Duarte (1979) estudou design de comunicação e trabalhou como designer gráfico em Portugal, Malásia e Itália. Em 2010, formou-se na Faculdade de Artes Visuais em Nova Iorque com um MFA em críticas de design. Como escritor de design, crítico e curador, escreve artigos e ensaios, contribui para e edita livros e catálogos, dá palestras e oficinas, organiza eventos e é curador de exposições sobre design, arquitetura e criatividade desde 2006. É atualmente candidato a doutoramento com um projecto de investigação sobre design brasileiro contemporâneo, uma colaboração entre o Birkbeck College, a Universidade de Londres e o Victoria & Albert Museum.

 

SaraBeloLuis

Sara Belo Luís é subdiretora da VISÃO. Começou a escrever para a VISÃO no final dos anos 90 e desde então integrou as secções de Cultura (ainda há quem se lembre disso) e de Portugal (ninguém se lembra disso). Editou a VISÃO Se7e e, a partir de 2016, assumiu funções como editora executiva. Licenciada em Comunicação Social e pós-graduada em Ciência Política e Relações Internacionais, também deu aulas na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Nasceu em Lisboa no Verão Quente de 1975, tem três filhos e, apesar de na família não haver registo de algum dia ter dito que queria ser jornalista, gosta muito do que faz.